26 de fev de 2010

Livro gratuito da UNEP sobre Plataforma Continental

Durante a última década, muitos estados costeiros têm se empenhado em estabelecer pacificamente os limites de sua jurisdição marítima. Isto representa um marco histórico para a definição da soberania marítima, e apresenta enormes oportunidades econômicas para estados costeiros, mas também traz novos desafios e responsabilidades ambientais.





Baixe o livro gratuito AQUI ou
Navegue pela versão interativa do livro AQUI (Recomendado!)

22 de fev de 2010

Navios-tanque traficam água de rios da Amazônia

Fonte: http://www.envolverde.com.br
Por Chico Araújo, da Agência Amazônia

BRASÍLIA – É assustador o tráfico de água doce no Brasil. A denúncia está na revista jurídica Consulex 310, de dezembro do ano passado, num texto sobre a Organização Mundial do Comércio (OMC) e o mercado internacional de água. A revista denuncia: “Navios-tanque estão retirando sorrateiramente água do Rio Amazonas”. Empresas internacionais até já criarem novas tecnologias para a captação da água. Uma delas, a Nordic Water Supply Co., empresa da Noruega, já firmou contrato de exportação de água com essa técnica para a Grécia, Oriente Médio, Madeira e Caribe.

Conforme a revista, a captação geralmente é feito no ponto que o rio deságua no Oceano Atlântico. Estima-se que cada embarcação seja abastecida com 250 milhões de litros de água doce, para engarrafamento na Europa e Oriente Médio. Diz a revista ser grande o interesse pela água farta do Brasil, considerando que é mais barato tratar águas usurpadas (US$ 0,80 o metro cúbico) do que realizar a dessalinização das águas oceânicas (US$ 1,50).

12 de fev de 2010

IOC comemora 50 anos com eventos especiais no Brasil


A Comissão Oceanográfica Intergovernamental (IOC, sigla em inglês de "Intergovernmental Oceanographic Commission") comemora seu 50º aniversário em 2010. Começando com a Indian Ocean Expedition Internacional, em 1960, o COI tem trabalhado para promover a cooperação internacional na investigação e proteção dos oceanos.

O site comemorativo dos 50 anos do IOC já está online, com informações sobre a história do IOC e dos eventos de comemoração dos 50 anos do IOC que serão realizados em todo o mundo. As informações que constam no site para o Brasil são a seguinte:

O primeiro cruzeiro oceanográfico Transantlântico brasileiro foi realizado em 23 de dezembro de 2009, após dois meses de coleta de dados no Oceano Atlântico entre as latitudes 30° e 20° S. Durante o cruzeiro 11 projetos integrados foram realizados, coordenado por cientistas de renome de 16 instituições de pesquisa do Brasil. 50 pesquisadores e estudantes de pós-graduação estiveram diretamente envolvidos. Os resultados preliminares do cruzeiro foram discutidos em 22 de Janeiro de 2010.

Uma exposição está prevista para ser organizada a bordo do navio-escola "Brasil", a ser demonstrada em portos de todo o mundo. Em maio de 2010, uma sessão especial sobre o IOC será organizada em conjunto com o Congresso Brasileiro de Oceanografia em Rio Grande. Há planos para organizar uma reunião de 2 dias em Novembro de 2010 no Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo sob o título "Os Oceanos e Sociedade: o papel do Instituto Oceanográfico de São Paulo (IOUSP) na implementação dos programas do Intergovernmental Oceanographic Commission (IOC)".

11 de fev de 2010

Estudo apresenta novo processo de modelagem para estudo das mudanças climáticas


Uma equipe internacional de cientistas do clima desenvolveram uma nova abordagem para a modelagem de clima da Terra que vai melhorar a precisão dos futuros modelos utilizados pelo IPCC. Cenários anteriores usados pelo IPCC geralmente assumiam nenhuma tentativa de redução da mudança climática. Hoje, os tomadores de decisão e os cientistas estão interessados em diversas formas de se limitar tais alterações d clima, como o aumento da eficiência do uso e conservação energética e o desenvolvimento de novos combustíveis renováveis para substituir os combustíveis fósseis.

Esta nova abordagem permitirá comparar os efeitos ambientais e sócio-econômicos de diferentes respostas potenciais à mudança climática. Este tipo de modelagem focará no crescimento econômico e populacional, a evolução de novas tecnologias, e outros fatores como as políticas governamentais e instituições sociais. As análises incluirão não só atividades humanas que contribuem para as alterações climáticas, mas também o grau de vulnerabilidade de populações diferentes e quais recursos estarão disponíveis para se adaptar às novas condições.

Leia o artigo original aqui:

Moss et al. 2010. The next generation of scenarios for climate change research and assessment', Nature, February 2010, 463, 747-756; doi: 10.1038/nature08823

Leia a notícia original completa aqui.

10 de fev de 2010

Peixe raro de águas profundas é filmado no Golfo do México



Fonte: Globo.com e BBC.co.uk


Cientistas conseguem vídeo raro de ‘monstro’ do mar

Peixe-remo pode chegar a 17 metros de comprimento.
Bicho é parecido com uma serpente gigante.

Pesquisadores da Universidade do Estado da Louisiana, nos Estados Unidos, conseguiam uma imagem inédita do intrigante peixe-remo navegando no fundo do oceano. O filme foi feito no Golfo do México por meio de uma máquina não tripulada, e os cientistas acreditam que essa é a primeira vez que se filma o animal em seu habitat natural.

O peixe-remo (Regalecus glesne) é uma espécie rara que vive em águas profundas. Ele pode chegar a 17 metros de comprimento, e só costuma ser visto quando está morrendo e sobe à superfície. Seu “topete” e suas barbatanas incomuns sempre despertam a curiosidade de quem topa com um deles. Acredita-se que relatos antigos sobre serpentes gigantes no mar estão relacionados a esse peixe.

Leia a notícia em português no site Fonte: Globo.com e a notícia completa original no site BBC.co.uk

6 de fev de 2010

A acidificação e o futuro dos oceanos



A revista Oceanography, publicada pela Oceanography Society, publicou uma edição especial sobre acidificação dos oceanos. A edição "The Future of Ocean Biogeochemistry in a High-CO2 World" contém artigos de alguns dos mais importantes pesquisadores no assunto no mundo. Os artigos publicados nesta edição podem ser acessados gratuitamente.