30 de jun de 2010

Pesquisa mostra que o Ártico pode ser mais sensível ao aquecimento global do que se pensava

Um trabalho recentemente publicado na revista Geology sugere que o Ártico pode ser mais sensível ao aquecimento global do que se pensava. As temperaturas no Ártico têm aumentado por volta de 1°C em resposta ao aquecimento global nos últimos 20 anos, e é esperado que a temperatura suba ainda mais nas próximas décadas. O Plioceno (2,6 a 5,3 Miloes de anos atrás) é de particular interesse para compreensão do aquecimento futuro do planeta pois as temperaturas globais no eram significativamente mais altas do que hoje. Neste trabalho os autores estimaram que a temperatura média anual no Plioceno do ártico com base em três proxies independentes. Os resultados sugerem que as temperaturas e as concentrações de CO2 no Ártico durante o Plioceno foram superiores a temperatura atual. Os resultados deste trabalho indicam que as temperaturas do Ártico podem ser extremamente sensíveis a emissões antropogênicas de CO2.

Leia o artigo completo AQUI.

29 de jun de 2010

Pesquisa mostra por que o mercúrio é mais perigoso nos Oceanos

Fonte: Wikimedia.org
Apesar das concentrações de mercúrio em água doce serem muito maiores do que aquelas encontradas na água do mar, são em peixes de água salgada como o atum, a cavala e o tubarão que as maiores concentrações de mercúrio são encontradas, e são estes peixes que acabam constituindo uma ameaça para a saúde daqueles que os consomem freqüentemente. De acordo com pesquisadores da Duke University, a fonte deste problema encontra-se nas próprias características da água do mar.

Leia o artigo completo aqui.

28 de jun de 2010

Manual de Ecologia Viral Aquática - Livro Gratúito da ASLO

A American Society of Limnology and Oceanography, responsável pela publicação do jornal Limnology & Oceanography, publicou seu primeiro e-book online. O livro "Manual de Ecologia Viral Aquática" (MAVE, sig;a em inglês) foi editado por Steven Wilhelm, Weinbauer Markus e Suttle Curtis. O livro contém 19 capítulos refletindo o estado-da-arte e opiniões sobre diferentes abordagens para o estudo da ecologia viral em sistemas aquáticos. Os temas abordados no livro vão desde a contagem de vírus até técnicas moleculares para o estudo de populações e comunidades de vírus. O conteúdo deste e-book foi escolhido em consulta com o grupo de trabalho sobre vírus marinhos do Scientific Committee for Oceanographic Research, e a publicação apoiada pela Gordon and Betty Moore Foundation.

Para baixar o livro gratúito, clique no link abaixo:

23 de jun de 2010

XI Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia


A Sociedade Brasileira de Ecotoxicologia (ECOTOX-BRASIL) anuncia a décima primeira edição do Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia – XI ECOTOX, que será realizada entre os dias 19 a 23 de setembro de 2010 na cidade de Bombinhas - SC. A sede do XI ECOTOX será na Pousada Vila do Farol.

Visite o site do evento para obter mais informações.

21 de jun de 2010

Mostra de Biodiversidade Aquática Marinha em cartaz em Brasília

Fonte: ASCOM MMA 22/06/2010 (Divulgação por email)

Para celebrar o Ano Internacional da Biodiversidade, a gerência de Biodiversidade Aquática e Recursos Pesqueiros do MMA organizou uma exposição focada na diversidade biológica aquática das zonas costeiras do País.

A mostra é composta por 10 painéis que abordam a riqueza dos ecossistemas marinhos, a diversidade marinha brasileira, pesquisas, campanhas e programas desenvolvidos pela gerência. A exposição fez parte da Conferência Juvenil " Vamos Cuidar do Planeta", realizada na Semana do Meio Ambiente no Distrito Federal, e agora está em cartaz no IESB (613/14 sul). A visitação é aberta ao público em geral e a entrada é gratuita.

20 de jun de 2010

Programa Globo Universidade na FURG

Neste sábado, 19 de junho, o Globo Universidade, exibido às 7h15, participa de uma expedição científica pela costa sul do Brasil com professores e alunos do Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). O repórter André Curvello embarca no navio de pesquisas Atlântico Sul para conhecer estudos sobre as condições marítimas e a fauna da região, que ajudam a traçar políticas de exploração sustentável e de preservação ambiental. O programa é exibido na TV Globo no sábado, às 7h15, e reprisado no mesmo dia na Globo News, às 13h05. No Canal Futura, as reprises vão ao ar no sábado, às 13h30, na quarta-feira, às 15h10, e na quinta-feira, às 3h. As edições também estão disponíveis na íntegra aqui no site.

Para assistir ao Vídeo Clique no link abaixo:

16 de jun de 2010

A Ciência do Derramamento de Petróleo




Site especial criado pela equipe da conceituada revista Science dedicado ao estudo do vazamento de óleo nos oceanos. As notícias e artigos postados no site são organizados nas seguintes categorias:






14 de jun de 2010

Sedimento de dragagem pode virar energia elétrica

Fonte: Porto de Rio Grande

Projeto inédito utilizará lama retirada pelas dragagens para gerar energia elétrica e produzir material que poderá ser usado na construção civil.

A idéia pioneira de gerar energia a partir da lama retirada dos canais de acesso ao porto rio-grandino faz parte do projeto “Bioconversão dos Sedimentos de Dragagem do Porto do Rio Grande em Energia Elétrica”. O trabalho, que está sendo desenvolvido pelos pesquisadores e professores Christiane Saraiva Ogrodowski e Fabrício Santana, é vinculado ao Laboratório de Controle de Poluição da Escola de Química e Alimentos (EQA) da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e conta com o apoio da Superintendência do Porto do Rio Grande e do Governo do Estado Rio Grande do Sul. O projeto foi apresentado a imprensa nesta quarta-feira (05), às 10h, na Superintendência do Porto do Rio Grande.

Conforme Santana, o projeto terá duração de três anos, sendo no primeiro ano desenvolvido em laboratório. Já nos outros dois anos restantes ele ganhará uma planta piloto, em uma área no Porto Novo do Rio Grande. De acordo com o projeto, o processo inicia com a captação do material dragado nos canais de acesso ao porto. Posteriormente ele é descarregado em um píer adaptado e armazenado. Com o auxílio de um hidrociclone é separado o material inerte, sendo aproveitado o material orgânico (doador de elétrons), que recebe eletrodos que captam os elétrons, produzindo eletricidade. A idéia pioneira, em usar o material de dragagem para gerar energia elétrica, deve-se ao sedimento marinho conter grandes quantidades de ferro e enxofre.

Além da produção de energia elétrica o resultado do processo gerará um sedimento limpo (areia), que poderá ser usado na construção civil e em aterros. Hoje o sedimento da dragagem não pode ser utilizado para esse fim por conter grandes quantidades de material orgânico.

Os pesquisadores do projeto explicam que as pesquisas mundiais de aproveitamento de sedimento marinho são realizadas em escala de laboratório e dizem respeito à retirada dos sedimentos do fundo do mar. O diferencial da proposta rio-grandina é o aproveitamento de material já retirado, oferecendo solução para um problema de esfera mundial: a destinação do material dragado.

Potencial econômico:
Considerando os volumes estimados das dragagens de manutenção do porto rio-grandino por um prazo de cinco anos, que pode chegar a 6,5 milhões de metros cúbicos de sedimento, foi estabelecido o potencial econômico do projeto. Com base nesse volume e período foi verificado que o material dragado possui entre 0,1 a 4% de matéria orgânica. No cenário menos otimista pode-se gerar com 0,1% de material orgânico 14 MW/h de energia elétrica, que corresponderia ao valor de R$ 77 milhões, o que cobriria os custos de dragagem. Já no cenário mais otimista poderia gerar-se 580 MWh de energia elétrica, o que equivale a uma usina termoelétrica, obtendo R$ 6,2 bilhões.

O projeto foi aprovado em primeiro lugar no Termo de Referência TR01/2010, do Projeto Estruturante Pólo Tecnológico Estadual da Secretaria da Ciência e Tecnologia do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, que financiará R$ 300 mil em recursos, com contrapartida de R$ 60 mil do Porto do Rio Grande, além do custo estimado em R$ 640 mil pela FURG com o trabalho dos pesquisadores. A expectativa é de iniciar os trabalhos num espaço de três a quatro meses, período estimado pelos professores entre a assinatura do convênio com a Secretaria e o repasse dos recursos.

Leia a notícia original AQUI, e também no site da FURG.

13 de jun de 2010

FURG sediará o 4º Seminário e Workshop em Engenharia Oceânica

Fonte: Notícias FURG

Integrado ao evento científico, será realizado o 4º Workshop da Engenharia Costeira, com debates sobre o futuro da Engenharia Costeira e Oceânica no Brasil

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Oceânica da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) vai sediar a 4ª edição do Seminário e Workshop em Engenharia Oceânica (Semengo 2010). O evento, que teve sua primeira edição em 2004, reunirá pesquisadores e profissionais das áreas de Engenharia Costeira, Naval e Oceânica. O intuito é de proporcionar a integração e troca de experiências cientificas e técnicas.

Seguindo a tradição de escolha de um assunto de destaque em cada edição do evento, o tema central desta edição do Semengo será a construção naval. Desde a sua primeira edição, o evento tem contado com palestrantes de âmbito nacional e internacional e com a apresentação de trabalhos científicos de pesquisadores brasileiros e estrangeiros.

Integrado ao evento científico, o 4º Workshop da Engenharia Costeira tem por objetivo discutir as políticas e dificuldades do desenvolvimento das áreas de Engenharia Costeira e Oceânica no Brasil, com debates sobre metas e ações a serem realizadas para o desenvolvimento pleno do setor.

O seminário será realizado entre os dias 03 e 05 de novembro de 2010 no Centro Integrado de Desenvolvimento Oceânico e Costeiro - Cidec-sul, Campus Carreiros, na cidade do Rio Grande, Rio Grande do Sul. A programação, instruções para submissão de trabalhos científicos e outras informações podem ser encontradas no sítio eletrônico do evento, no link abaixo.

12 de jun de 2010

XXII Semana Nacional de Oceanografia





A Semana Nacional de Oceanografia, SNO, é um evento temático voltado para os alunos de graduação e pós-graduação em oceanografia e ciências correlatas. Com o objetivo de integrar os estudantes de oceanografia provenientes de todas as regiões do Brasil, a SNO é o mais tradicional evento da oceanografia brasileira, com 21 edições realizadas em diversos estados brasileiros (RS, PR, ES, SC, SP, RJ e PA), contribuindo de forma a complementar os cursos de oceanografia do país, trazendo novas discussões, cursos, debates e informações, de acordo com o tema abordado.

Acompanhando a evolução do evento, o público do mesmo vem a cada ano aumentando, formado principalmente pelos alunos graduandos em oceanografia e cursos relacionados. Na edição realizada em 2007, pela FURG, o público foi estimado em 1000 participantes. Em 2008, na XX SNO, realizada pela UERJ em Arraial do Cabo, RJ, o número de participantes aumentou para 1200.

Tradicionalmente, a Semana Nacional de Oceanografia apresenta um tema que a relaciona à instituição organizadora e ao panorama contextualizado em que se insere. Desta forma, o tema a ser abordado nesta 22ª edição será “Sustentabilidade e Preservação da Biodiversidade”, dados os esforços do Instituto Oceanográfico em atuar em prol destas temáticas, elaborando ações e projetos científicos e sociais voltados à conscientização e preservação dos mais diversos ecossistemas.

Assim, o principal objetivo desta edição da XXII SNO é Integrar a comunidade oceanográfica (estudantil e profissional) brasileira por meio de um evento contextualizado e de extrema importância, trazendo intercâmbio de informações e conhecimento entre alunos, pesquisadores e profissionais de diferentes instituições (pesquisa, ensino, ONGs e governamentais).

Contato

Praça do Oceanográfico, 191 - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3091-6653
Orkut: comunidade da XXII SNO
Twitter: @xxiisno
E-mail: xxiisno@gmail.com

11 de jun de 2010

100 anos de Jacques Cousteau

Jacques Cousteau estaria fazendo 100 anos de idade dia 11 de Junho. Os documentários deste explorador francês foram importantes meios de divulgação do misterioso e fascinante ambiente marinho para milhares de pessoas ao redor do mundo. Muitos oceanógrafos e cientistas do mar de hoje referem-se aos documentários de Cousteau como uma das razões pelas quais eles se apaixonaram pelos oceanos. Entretanto, a contribuição de Cousteau para o estudo e conservação dos oceanos vai muito além de seus documentários. Uma recente reportagem da National Geographic lista as cinco principais razões que fizeram de Cousteau uma lenda:
  • Jacques Cousteau foi pioneiro no desenvolvimento de equipamento de mergulho (o Aqua-lung).
  • Os documentários de Cousteau trouxeram um mundo novo aos telespectadores.
  • Cousteau foi o pioneiro no desenvolvimento de bases submarinas de pesquisa (a Continental Shelf Station ou Conshelf).
  • Cousteau ajudou a restringir a caça comercial de baleias.
  • Cousteau ajudou a parar o despejo de resíduos nucleares nos oceanos.
Leia a reportagem completa da National Geographic Aqui, e também a reportagem de Jean-Michel, filho de Cousteau.

Saiba mais sobre as comemorações dos 100 anos de Cousteau na página da Cousteau Society

7 de jun de 2010

Fifth International Marine Debris Conference


The Fifth International Marine Debris Conference will take place March 20-25, 2011, in Honolulu, Hawai’i. The National Oceanic and Atmospheric Administration and the United Nations Environment Programme are co-organizers of the conference, which will bring together international marine debris researchers, natural resource managers, policy makers, industry representatives, and the nongovernmental community. This conference will highlight research advances, allow sharing of strategies and best practices to assess, reduce, and prevent the impacts of marine debris, and provide an opportunity for the development of specific bilateral or multi-country strategies.

Keep up-to-date on this conference by:
Signing up for email updates - If you are interested in receiving updates on this conference please send an email to 5IMDConf@gmail.com with “International MD Conference” in the subject line. Include your full name, title, organization/agency, country, and email address.

3 de jun de 2010

Assista ao vazamento no fundo do Golfo do México em tempo real

Assista abaixo ao vivo o vídeo do ROV que a BP utiliza para monitorar o vazamento no Golfo do México.



2 de jun de 2010

Guia Ilustrado: Biodiversidade do Litoral do Piauí

O Livro "Guia Ilustrado: Biodiversidade do Litoral do Piauí", cujo lançamento ocorreu no Congresso Brasileiro de Oceanografia, pode ser adquirido no site do Oceanólogo Daniel Loebmann.

Veja algumas partes deste livro sobre uma das regiões menos estudadas do litoral brasileiro abaixo: